(11) 94024-5599, 2574-7989 e 3791-3754
Dra. Brenda Navarro durante procedimento de biópsia hepática percutânea guiada por ultrassom

Lesões nodulares em fígado são achados comuns em exames ultrassonográficos de rotina em cães idosos, porém a ultrassonografia como exame único, não é capaz em diferenciar entre lesões hiperplásicas (onde a população celular de hepatócitos que compõem o nódulo são normais) de lesões francamente neoplásicas (quando o nódulo do fígado contém células tumorais, sejam benignas ou malignas).

 

Detalhes da agulha de biópsia TruCut – Bard Max-Core 16G]

O procedimento é minimamente invasivo, porém exige que o paciente seja anestesiado. Com o auxílio de exame ultrassonográfico, a Dra Brenda  identifica o melhor ponto de inserção da agulha TruCut diretamente na lesão hepática a ser biopsiada. O ultrassom também identifica quais locais da lesão devem ser evitados, principalmente pontos cavitários ou vascularizados que poderiam ocasionar sangramento durante o procedimento de coleta.

A coleta de tecido hepático para posterior análise anátomo-patológica restringe-se a alguns poucos fragmentos (cerca de 3 a 6 fragmentos) de tamanho milimétrico (1 mm x 17 mm). O  tempo de duração do procedimento, em média, é de 30 minutos.

 

Detalhes dos fragmentos de tecido hepático coletados pela agulha Bard Max-Core 16G

Sendo assim, a coleta de biópsia percutânea com agulha TruCut quiada por ultrassonografia é um procedimento rápido e seguro que proporciona maior acurácia no diagnóstico dos pacientes portadores de malignidades hepáticas, os quais merecem maior atenção quanto ao tratamento cirúrgico para resseção de seus tumores; em relação àqueles que precisam ser operados para resseção de tumores benignos ou lesões hiperplásicas, os quais cursam com prognóstico favorável.

Caso você queira maiores informações sobre o diagnóstico de coleta de biópsia hepática percutânea guiada por ultrassom escreva para renatasobral@oncocane.com.