(11) 94024-5599, 2574-7989 e 3791-3754

JuliaO Carcinoma de Células Escamosas é um tumor maligno que acomete a epiderme. Representa 6% dos tumores de pele em cães e 25% das neoplasias cutâneas em gatos, com maior incidência em animais idosos. São tumores localmente invasivos porém com baixo índice de metástases.

Ocorrem principalmente em gatos brancos, acometendo orelhas, pálpebras e narina. Em gatos pigmentados o acometimento se dá em áreas sem pêlos ou com pouco pigmento. Em cães as regiões mais acometidas são pálpebras, abdômen, região inguinal e na base da unha. Uma lesão de pele pré-cancerosa denominada “dermatite actínica” precede o aparecimento do tumor, sendo uma lesão crônica que não cicatriza.

A exposição à radiação solar contribui para o desenvolvimento deste tipo de neoplasia. As lesões são avermelhadas, com eritema, crostas e ulceração na maioria das vezes.

O diagnóstico se baseia em exames citológicos ou histopatológicos e o tratamento é essencialmente cirúrgico, baseado na remoção cirúrgica ampla e muitas vezes associada à quimioterapia, eletroquimioterapia e criocirugia.

Um diagnóstico precoce e nódulos menores favorecem a sobrevida, o prognóstico e a incidência de cura.

A prevenção através da baixa exposição à radiação solar e uso de protetor em áreas expostas é o fator mais importante, uma vez que os tumores estão associados à exposição crônica à radiação ultravioleta.

Texto: Dra. Camila Utrera Ferraz do Amaral