(11) 94024-5599, 2574-7989 e 3791-3754
A crise econômica na Venezuela está afetando os seus habitantes grandemente. Eles enfrentam escassez de água e comida, além de saques diários e violência, e, infelizmente, os animais também não escapam e enfrentam a sua própria crise. Os seus donos lutam para sobreviver e a primeira consequência é o abandono dos animais domésticos. Muitos do que deixam o país deixam cães e gatos abandonados à sua sorte.

Alguns abrigos foram fundados para ajudar a combater este flagelo na Venezuela. Voluntários ajudam a recolher os cães abandonados, alguns levam os cães para sua própria casa a fim de minimizar o sofrimento dos pets.

A crise atingiu-os duramente, as pessoas abandonam os seus cães porque não têm dinheiro para comprar comida nem para si, quanto mais para seu animal de estimação, desta forma tentam deixar o país e não podem fazê-lo levando seu cão.

O custo para alimentar um cão é agora um luxo, proibitivo para as bolsas dos que ficam: um pacote de 20 quilos de ração custa, em média, o equivalente a 50 dólares (160 reais), quase duas vezes o salário mínimo mensal, segundo a Reuters, a maior agência internacional de notícias do mundo.

Vê-se também em intervalos de poucas horas, que carros encostam e as pessoas vão entregando os seus cães, alguns com pedigree. Do outro lado, voluntários chegam diariamente para doar e distribuir comida para os animais.

Num dos principais zoológicos do país, os animais estão morrendo de fome. Muitos passam dias sem comer, enquanto leões e tigres são alimentados com mangas e abóboras para compensar a falta de carne.

É uma grande tristeza!